Posicionamento do IBP sobre a 15ª Rodada da ANP

0
382

O presidente do IBP, Jorge Camargo, ressalta que o resultado da 15ª Rodada da ANP consolida o Brasil em uma posição de grande destaque no cenário global do setor de petróleo graças às melhorias regulatórias realizadas pelo governo.

Camargo afirmou ainda que o leilão mostra que o Brasil não é competitivo apenas no pré-sal. “Existem boas oportunidades no pós-sal. O resultado revelou ainda que há uma multiplicidade de empresas interessadas no Brasil e que o elevado valor dos bônus é uma boa indicação de que a rodada de junho também deve ter êxito”, disse o presidente do IBP. “Mais do que o valor dos bônus de assinatura, a diversidade de empresas investidoras e operadoras que se apresentaram no leilão é a melhor notícia para o futuro da indústria no Brasil”, complementou. Apesar dos avanços regulatórios já em prática, diz Camargo, outras mudanças devem ocorrer para atrair mais investimentos, criar mais empregos e gerar mais renda.

Para o presidente do IBP, a adoção de um único modelo de exploração facilitaria o investimento, evitaria impasses e seria menos oneroso para o Estado. O regime de concessão assegura os mesmos benefícios em arrecadação, com menor risco. A retirada de dois blocos da Bacia de Santos do leilão pelo TCU se deu em razão da existência de dois regimes – partilha e concessão.

Ainda assim, Camargo reiterou que a Rodada foi “um grande sucesso e a arrecadação de bônus superou todas as expectativas”. A 15ª Rodada da ANP arrecadou R$ 8 bilhões em bônus de assinatura, com ágio de 622% e investimento mínimo de R$ 1,2 bilhão.