Rhodia e Top Shoes Brasil apresentam calçado conceito que une conforto, design, sustentabilidade e inovação

Projeto inovador mostra o avanço da Indústria 4.0 no setor de calçados

0
1636

Um protótipo de calçado esportivo que alia design, conforto e tecnologia à sustentabilidade foi a novidade que a Rhodia, empresa do Grupo Solvay, apresentou no Inspiramais 2019_II (17 e 18 de julho, em São Paulo). O modelo foi desenvolvido em parceria com o estúdio Top Shoes Brasil, um dos mais renomados centros de design e inovação para o desenvolvimento de calçados, comandado por Gustavo Dal Pizzol, referência do setor calçadista brasileiro.

O cabedal do calçado foi desenvolvido com uma técnica de tecelagem 3D, conhecida como Knit, um processo novo, que faz parte da indústria 4.0, em que a peça é tecida de forma individual e customizada. A grande novidade trazida pela Rhodia para este calçado é o uso da poliamida sustentável da família Amni Colors, fios mesclas, brancos e pretos, que já nascem com uma tonalidade especial para suprimir a etapa de tingimento do tecido/malha do cabedal. Os fios Amni Colors podem ser utilizados em sua forma natural, mesclando suas tonalidades e evitando assim o processo de tinturaria.

A combinação do Knit, processo inovador da indústria calçadista que oferece otimização de custos em todo o processo produtivo e redução de resíduos calçadistas, com os fios de poliamida sustentáveis e inteligentes da família Amni Colors é perfeita para entregar ao consumidor e ao mercado produtos de alto valor agregado, que aliam design, sustentabilidade, conforto, tecnologia e custo-benefício. Além de garantirem a sustentabilidade do setor têxtil ao permitirem a redução do consumo de água, energia e de insumos durante o processo de fabricação da malha ou tecido do cabedal, os fios Amni Colors oferecem extremo conforto, respirabilidade, durabilidade e evitam o risco de manchas e a perda da intensidade da cor. Esses benefícios serão sentidos diretamente pelo consumidor final, principalmente em calçados dedicados ao lazer e à prática esportiva.

No calçado também foram utilizados a linha de costura Green Fiber da empresa Linhasita e a palmilha e cadarço da empresa Cofratec, todos desenvolvidos a partir do Amni Soul Eco, fio de poliamida biodegradável da Rhodia, que permite que materiais feitos a partir dele se biodegradem em 3 anos quando descartados em aterros sanitários, reduzindo  ainda mais o impacto ambiental e reforçando o desenvolvimento de uma solução completa e sustentável para o calçado.

Todos os produtos têxteis da Rhodia têm a certificação internacional Oeko-Tex (standard 100, classe 1), que atesta a sua segurança de uso para a confecção de roupas e calçados para adultos, crianças e bebês. “Cada vez mais os consumidores estão interessados em produtos que sejam amigos do meio ambiente e, ao mesmo tempo, ofereçam conforto, design e tecnologia. O nosso trabalho é traduzir esse desejo em produtos têxteis inovadores, que entreguem conforto e funcionalidade à vida das pessoas”, diz Renato Boaventura, presidente da unidade global de negócios Fibras do Grupo Solvay.

O projeto desenvolvido pelo estúdio Top Shoes Brasil inclui um solado especial em PU (poliuretano), com matéria-prima da Rhodia. “A solução que criamos para o solado atende aos requisitos desejados pelos fabricantes: mais conforto, durabilidade, flexibilidade e leveza”, diz Marlise Margaritelli, gerente de marketing de Fenol e Derivados da Solvay. Segundo Marlise, a empresa está atenta aos avanços do setor calçadista e busca desenvolver projetos com profissionais e empresas reconhecidas no setor, como a Top Shoes Brasil.

Para Gustavo Dal Pizzol, o projeto criado com a utilização dos produtos e matérias-primas da Rhodia está em linha com as tendências do setor calçadista, que valoriza os materiais com apelo tecnológico e têm pegada sustentável. “É uma satisfação criar um projeto como esse que desenvolvemos com a Rhodia, uma empresa que sempre agrega inovações sustentáveis para a indústria têxtil e o setor de componentes de calçados. Temos a certeza de que o mercado vai saber reconhecer o valor desse produto que estamos criando”, disse.

Dados divulgados pela Assintecal, associação do setor de componentes de calçados, a partir de estudos da consultoria britânica Euromonitor, mostram que a venda de calçados esportivos movimentou R$ 12,71 bilhões no País em 2017. Dentro desse mercado, o segmento de calçados de performance, que inclui tênis para corrida, futebol e academia, gerou cerca de R$ 6,80 bilhões em 2017.