TecGlaze, a cera desmoldante para composites da Polinox, completa trinta anos

Formulação contém elevado índice de carnaúba

0
1388
TecGlaze: Polinox tem capacidade para produzir 20 toneladas/mês em Itupeva (SP)

Trinta anos de produção ininterrupta da mesma formulação. Assim pode ser resumida a trajetória da TecGlaze, cera desmoldante à base de carnaúba produzida pela Polinox, empresa paulista mais conhecida pela fabricação de catalisadores, produtos que, assim como a TecGlaze, são usados na transformação de composites.

“Muito do sucesso da TecGlaze se deve ao fato de a receita original ter sido mantida, sobretudo em relação à quantidade de carnaúba”, comenta Roberto Pontifex, diretor da Polinox. Isso porque a matéria-prima extraída de uma espécie de palmeira é a principal responsável pelo desmoldagem das peças de composites. “É comum encontrarmos no mercado ceras bem mais pastosas do que a TecGlaze, o que indica uma presença excessiva de solvente no lugar da carnaúba. Barateia o custo de fabricação, mas prejudica o desempenho do produto final”.

Atualmente, a Polinox tem capacidade para produzir 20 toneladas/mês de TecGlaze. Negociado quase que na sua totalidade via distribuidores, o produto respondeu por cerca de 5% da receita da empresa no ano passado. “Houve um crescimento de 4% no período. Isso significa que o pequeno transformador de composites começou a retomar o seu poder de compra”, observa Pontifex.

Para mais informações, acesse www.polinox.com.br