Resultados preliminares do segundo trimestre excedem expectativas e perspectiva para o ano inteiro melhora

0
784

A Evonik aumentou o EBITDA ajustado do segundo trimestre de 2018 para 742 milhões de euros (exercício anterior: 640 milhões de euros). Todos os três segmentos químicos contribuíram para esse aumento considerável com seus excelentes avanços no negócio operacional. Todos conseguiram aumentar o EBITDA ajustado e a margem EBITDA na comparação com o mesmo trimestre do exercício anterior.

As vendas aumentaram para 3,9 bilhões de euros no segundo trimestre (exercício anterior: 3,6 bilhões de euros), principalmente devido ao aumento nos volumes de venda e nos preços de venda.  O lucro líquido ajustado ficou em 354 milhões de euros, o que corresponde a um lucro ajustado por ação de 0,76 euro. A margem EBITDA ajustada aumentou para 19,2%, ficando 1,5 ponto percentual acima do registrado no mesmo período do exercício anterior.
No primeiro semestre do ano, a Evonik gerou vendas de 7,5 bilhões de euros e um EBITDA ajustado de 1,4 bilhão de euros.  Na comparação com o primeiro semestre de 2017, as vendas cresceram 4% e o EBITDA ajustado subiu 15%.  A margem EBITDA ajustada aumentou de 17% para 18,8%.

A Evonik está muito bem situada em matéria de evolução do fluxo de caixa livre: Ao contrário do exercício anterior (H1 2017: – 135 milhões de euros), no primeiro semestre de 2018 o fluxo de caixa livre foi positivo.

Previsão aumentada

Com base em seu ótimo desempenho no primeiro semestre do ano, a Evonik elevou a estimativa para o ano fiscal de 2018 e agora espera um EBITDA ajustado de 2,60-2,65 bilhões de euros.  A empresa havia projetado um EBITDA ajustado de 2,4- 2,6 bilhões de euros.

A perspectiva de fluxo de caixa livre também foi melhorada. Para 2018, a Evonik projeta um fluxo de caixa livre notavelmente mais alto na comparação com o exercício anterior.  Até agora, a empresa previa um fluxo de caixa livre ligeiramente mais alto.

Desenvolvimentos nos segmentos

O segmento Resource Efficiency continuou o seu desenvolvimento extremamente estável e lucrativo no segundo trimestre. As vendas aumentaram 8% para 1,5 bilhão de euros (exercício anterior: 1,4 bilhão de euros), enquanto o lucro ajustado, com 366 milhões de euros, ficou 15% acima daquele do trimestre do exercício anterior.

A margem EBITDA ajustada no segmento subiu 1,4 ponto percentual para excepcionais 24,7%. No geral, o segmento se beneficiou da alta utilização da capacidade e da demanda continuadamente alta por sílica; polímeros de alta performance, incluindo design leve; e tintas e revestimentos base água ambientalmente corretas da linha de negócios Coating Additives.

As vendas no segmento Nutrition & Care, no valor de 1,2 bilhão de euros, ficaram ligeiramente acima das do exercício anterior. O lucro ajustado cresceu 10% para 222 milhões de euros (exercício anterior: 201 milhões. O segmento conseguiu aumentar significativamente a sua margem EBITDA ajustada para 18,7% (mesmo trimestre do exercício anterior: 17,3%).

Esse aumento se deve ao foco consistente em produtos com margens mais altas, repasse de custos de matéria-prima e rígida redução de custos, especialmente nas linhas Animal Nutrition e Baby Care. Na linha de aminoácidos para nutrição animal, o ambiente de mercado se manteve sólido ao longo do trimestre referido. Os volumes de venda se desenvolveram de modo positivo e ficaram acima dos do mesmo trimestre do exercício anterior.

Os preços de venda mantiveram a tendência de estabilização que já havia ficado evidente no início do ano. Aumentos significativos de venda também foram registrados na linha Personal Care, que se beneficiou de volumes consideravelmente mais altos em um mix de produtos melhor. As linhas Health Care e Polyurethane Foam Additives continuaram seu desenvolvimento comercial positivo.

As vendas no segmento Performance Materials alcançaram 1,0 bilhão de euros no segundo trimestre, 13% acima do exercício anterior. A razão disso foram os preços de venda persistentemente altos no negócio de metacrilatos e um ambiente de mercado melhor na linha Performance Intermediates. O EBITDA ajustado subiu para 196 milhões de euros (exercício anterior: €168 milhões). O segmento Performance Materials aumentou sua margem EBITDA ajustada para 19,1% (exercício anterior: 18,5%).