Peel adota impressão 3D para desenvolvimento de moldes de injeção

Tecnologia permitiu, à empresa gaúcha, reduções expressivas de custos e tempo na produção de protótipos para moldes de injeção

0
632

A Indústria 4.0, que representa uma revolução nos processos produtivos atuais, está substituindo métodos de fabricação tradicionais por tecnologias que permitem a produção de produtos customizados em escala com redução de custos e tempos dos processos produtivos. A Peel Projetos de Produtos, de Esteio, RS, empresa especializada na fabricação de moldes de injeção para a indústria plástica, está alinhada a este conceito desde 2017, quando passou a utilizar a impressora 3D da Stratasys Connex 260. A empresa é pioneira no Brasil na utilização da tecnologia de molde impresso em 3D, que permite a criação rápida de protótipos de peças e produtos produzidos nos materiais finais.

Utilizando a impressora 3D Stratasys Connex 3 da tecnologia Polyjet, com o material ABS Digital, podem ser impressos diretamente os moldes para produção de tiragens em baixos volumes. A quantidade de peças produzidas vai depender dos materiais que serão injetados, das geometrias e das condições de pressão e temperatura as quais serão submetidos os moldes. A vantagem é a possibilidade de ajustes e reimpressão dos moldes de um dia para o outro até a validação das cavidades de injeção e dos produtos com o material final.

Após a validação das cavidades, geometrias e funcionalidades, é possível partir para a produção final dos moldes usinados com a garantia de que não serão necessários mais ajustes ou retrabalho.

Christian Gerber Mello, Sócio-Diretor da Peel, explica que a adoção da impressora 3D permitiu que a empresa passasse a validar os projetos com os clientes ainda na fase de desenvolvimento. Só então os moldes são impressos e as peças são injetadas, sendo que, se for necessária qualquer alteração ou ajuste, basta alterar o projeto no software CAD 3D e imprimir novamente para validação. Antes, qualquer tipo de modificação tinha de ser realizada diretamente no molde final já usinado. “Obtivemos redução em alguns casos de até R$ 50 mil em cada alteração que deixamos de realizar no ferramental. Também tivemos uma redução em média de 80% de tempo para a produção de molde, em comparação aos métodos tradicionais”, explica Mello.

O empresário comenta que a adoção da tecnologia de impressão 3D foi realizada por meio de investimentos de R$ 400 mil, e que a empresa obteve o retorno desse valor em cerca de um ano, graças ao elevado volume de projetos. “A impressão 3D nos permitiu obter um número maior de clientes e projetos simultâneos. Além disso, nossos próprios clientes passaram a ganhar agilidade, uma vez que conseguem colocar seus produtos no mercado em tempo menor”, explica Mello.

A primeira impressora 3D foi instalada em 2017, após pesquisas de mercado e visitas a empresas que utilizam a tecnologia na Alemanha. Uma das principais atividades que a Peel realiza com o equipamento é a fabricação de moldes impressos. A impressão 3D permite obter um molde piloto com as geometrias e dimensões desejadas no produto final, mas com valor que cai para aproximadamente 70%. “Este é nosso diferencial. Nosso pioneirismo nos levou a participarmos de eventos, palestras e cursos sobre a manufatura aditiva em duas universidades da região Sul do País”, explica Mello.

“A moldagem por injeção é um grande mercado, mas ainda existem cenários em que a manufatura aditiva pode reduzir custos e prazos de entrega para ferramentas, desenvolvimento de produtos e produção de baixo volume. A tecnologia possibilita que empresas que desenvolvem produtos através de moldagem por injeção reduzam o tempo e o custo do processo de prototipagem, e também que as empresas de moldagem por injeção aumentem a sua vantagem competitiva por meio do desenvolvimento mais rápido de moldes e ferramentas com custos reduzidos” afirma Anderson Soares, Territory Manager da Stratasys para o Brasil.

Para o futuro próximo, a Peel pretende utilizar a impressão 3D para ampliar seu leque de clientes para cobrir a América Latina. Atualmente, a empresa atende cerca de 200 clientes em todo o Brasil.