Governo de São Paulo promove o 1° Seminário Sistemas de Energia Solar Fotovoltaica em Prédios Públicos do Estado

O evento é resultado de uma parceria entre o Banco Interamericano de Desenvolvimento e a Secretaria de Energia e Mineração

0
132

A Secretaria de Energia e Mineração do Estado de São Paulo promoveu no dia 30 de novembro, na sede da pasta o 1º Seminário Sistemas de Energia Solar Fotovoltaica em Prédios Públicos do Estado de São Paulo. O evento é resultado de uma parceria firmada entre a Secretaria e o BID -Banco Interamericano de Desenvolvimento.

O Consórcio Nippon Koei LAC – Cobrape (Companhia Brasileira de Projetos e Empreendimentos) ficou encarregado de elaborar o estudo inédito e apresentar os resultados obtidos até o momento de dois projetos pilotos já implantados nas Apaes (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) de São Vicente e Guaíra. “O Governo do Estado de São Paulo se adianta e dá exemplo com esse projeto que além de gerar economia se torna referência para todas as instâncias do poder público. Um modelo que pode ser replicado por todo o país”, disse o secretário-adjunto de Energia e Mineração, Ricardo Toledo e Silva.

A reunião faz parte do Convênio de Cooperação Técnica entre a Secretaria e o BID firmado para desenvolver, demonstrar e impulsionar a geração distribuída com energia renovável, utilizando sistemas de energia solar fotovoltaica, visando à produção de eletricidade e a redução dos custos públicos. “Apoiar esse tipo de iniciativa que gera economia, eficiência energética, com uma fonte renovável de energia é um motivo de orgulho. Estou muito feliz de ter chegado nesse momento”, disse o especialista de energia do BID, Arturo Alarcon.

 A consultoria apresentou o relatório inicial que será concluído no final de 2019 intitulado “Apoio ao Governo do Estado de São Paulo no desenvolvimento de conhecimento, informações e ferramentas para disseminar o uso de sistemas de energia solar fotovoltaica em edifícios públicos no Estado”. “O Governo gasta em média R$500 milhões com energia por ano, se a gente conseguir gerar uma economia de 15% vai sobrar dinheiro para ser aplicado em outras áreas como a saúde por exemplo. Ganha a população, o governo, todos nós”, comentou o subsecretário de Energias Renováveis Antonio Celso de Abreu Junior.

As informações fornecidas por algumas Secretarias de Estado serviram de base para a realização do levantamento do potencial energético a partir de energia fotovoltaica, estudos sobre a viabilidade técnica de geração distribuída e a viabilidade econômica. “Implantamos duas unidades geradoras de energia fotovoltaica idênticas em regiões diferentes do Estado. Foram contempladas a Apae de São Vicente e a de Guaíra que contou com 20 módulos totalizando 6,8 KWp de potencia que na média vão gerar uma economia de 25% do consumo anual”, afirmou o engenheiro eletricista da CL Solar, Rodrigo Coto Poppi.

Durante a apresentação o executivo foi informado pelo técnico da Secretaria de Energia e Mineração, Paulo Sassi, que as duas Apaes ganharão projetos de eficientização energética que serão implementados pelas distribuidoras CPFL Paulista e Piratininga. Atualmente o Governo do Estado possui 12.980 prédios próprios públicos em todas as regiões de São Paulo que podem ser atendidos por algum modelo de geração solar. Ainda durante o evento foram entregues mais três projetos técnicos elaborados gratuitamente para o Deinter 9 de Piracicaba, Centro Paraolímpico Brasileiro e o Centro de Tecnologia e Inovação – São Paulo.